WhatsApp Image 2018-11-19 at 16.07.38
novembro 20, 2018 Nenhum Comentário

Soluções ambientais para Santa Tereza

Exposição discute a união entre urbano e ambiental no bairro Santa Tereza

WhatsApp Image 2018-11-19 at 16.07.38Nesta semana, de 20 a 25 de novembro, o MIS Cine Santa Tereza sedia a exposição “Hidrofilia – o urbano e o ambiental podem se separar?”,  com visitação de 10h às 21h de terça a sexta-feira, e de 16h às 21h no sábado e domingo. São convidados moradoras e moradores, trabalhadoras e trabalhadores, comerciantes e simpatizantes de Santa Tereza, para conhecerem os resultados de trabalhos realizados no bairro por alunos do 5º período do curso de Arquitetura e Urbanismo da PUC Minas, neste segundo semestre de 2018, sob a supervisão da professora Viviane Zerlotini da Silva.

A exposição é a etapa final dos estudos e levantamentos da atividade de extensão da disciplina Planejamento Ambiental Urbano e apresenta propostas de intervenções para reabilitação ambiental de Santa Tereza, considerando seus rios e os impactos sofridos com a urbanização. A iniciativa é resultante de uma parceria do Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável (INSEA) com a Coopesol Leste, Spira Lixo, UFMG e Puc Minas, através do programa Novo Ciclo e Rede Lixo Zero.

Santa Tereza foi escolhido por ser uma área em que a Coopesol Leste já atua fazendo a coleta seletiva solidária por meio da Rede Lixo Zero Santa Tereza. O estudo busca atender a demanda de assessoria técnica para que a cooperativa possa ampliar os serviços de reciclagem no bairro, de modo a promover os cuidados com o meio ambiente.

Exposição no foyer de entrada do MIS Cine Santa Tereza

Exposição no foyer do MIS Cine Santa Tereza

As propostas são apresentadas em desenhos e fotos montagens que simulam as intervenções, baseadas em experiências que deram certo mundo afora. Uma delas indica a implantação de lixeiras assistidas por catadores de resíduos recicláveis e a implantação de uma ressoucerie, que é uma sociedade cooperativa  com preocupações ambientais e de inserção social. Entre as suas principais atividades estão: recolha de itens domésticos volumosos (móveis e excesso de lixo doméstico), triagem, desmantelamento e reciclagem, venda de itens reutilizáveis, conscientização para o eco-consumo. “Como Santa Tereza é um bairro tradicional, residencial e protegido pelo Patrimônio, vimos como ótima oportunidade a realização de oficinas sobre restauração de casas, móveis e objetos”, observa a professora Viviane Zerlotini da Silva.

Outra preocupação são a quantidade de áreas impermeabilizadas, que provocam as fortes enxurradas. Quanto a isso, há intervenções que buscam fazer com que a água da chuva infiltre no solo, com o uso de aparatos e técnicas de infiltração capazes de evitar diversas consequências nos períodos chuvosos. Nas áreas de alta declividade, por exemplo, a pesquisa apontou a necessidade de realização de obras para proteção das encostas, principalmente nas vilas Dias e São Vicente, que estão em áreas com essa características.

O grupo também notou que há pouca área vegetada no bairro e sugere a implantação de um mudário com espécies do bioma original, que é de transição entre mata atlântica e cerrado. A proposta é que as espécies sejam plantadas em jardins de chuva – técnica utilizada para diminuir a velocidade da água da chuva nas ruas de declive e permitir sua infiltração nesses locais. Dessa forma, ocorrerá a captação da água da chuva de volta para os lençóis freáticos sem causar impactos negativos ao ecossistema.

Bate-papo com a comunidade 

No sábado (24) à tarde, de 16h às 18h, os alunos estarão no foyer do MIS Cine Santa Tereza para ouvir a opinião e responder às dúvidas dos moradores, catadores de materiais recicláveis e demais interessados sobre as intervenções. “Nosso objetivo é despertar esse debate na comunidade e associações, para que se mobilizem e reivindiquem o desenvolvimento e a implantação das propostas  junto ao poder público”, revela Viviane.

Nesta conversa também será feito um pedido aos moradores de Santa Tereza para indicarem pessoas que contribuem para a preservação do meio ambiente, como por exemplo: catadores ou carroceiros que atuam no bairro, recuperadores de móveis, sapateiros, costureiras, artesãos, cuidadores de nascentes, hortas ou jardins, moradores ou comércio que separam resíduos, entre outros potenciais ajudantes, para formar uma rede de “Cuidadores de Santa Tereza”. Participe!

Serviço

Exposição Hidrofilia – O urbano e o ambiental podem se separar?
Dias e horários: 20 a 25 de novembro, de 10h às 21h de terça a sexta, e de 16h às 21h no sábado e domingo.
Local: MIS Cine Santa Tereza (foyer de entrada) – Rua Estrela do Sul, 89, Santa Tereza, Belo Horizonte – MG.
Entrada gratuita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossos Parceiros

A dedicação e empenho dessas instituições, tornaram possíveis a produção e continuidade dos projetos desenvolvidos pelo INSEA.


Hoje o Insea atua em mais de 20 projetos com o apoio dessas instituições. Sua empresa também pode ajudar a construir esta história! Entre em contato! Entre em contato!

cemig
ABHIPEC
danone-novo_cilco-parceiro-logo
dka_austria
wiego
Funcacao-bb
petrobras
governo_federal-insea
mncr
Desenvolvido por mOiDesign.
Todos os direitos reservados | INSEA